Produtor joga milhares de litros de leite fora e acusa indústrias de prática de cartel | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 03 de Março de 2021

POLÍTICA Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021, 16h:15 | - A | + A




Desperdício e Prejuízo

Produtor joga milhares de litros de leite fora e acusa indústrias de prática de cartel

Laticínio Vencedor proíbe que outra empresa colete a produção


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

Um produtor rural de Jauru (408 km de Cuiabá), de iniciais G. G. S., 79 anos, está sendo obrigado a jogar milhares de litros de leite fora, pois o Laticínio Vencedor está proibindo que outra empresa recolha a produção, após o fazendeiro trocar de indústria e passar a entregar seu produto ao Laticínio Três Marias.

Segundo G. G. S., a troca de laticínio é amparada pela autonomia e liberdade de escolha de venda, definida em junho do ano passado, diante da paralização das atividades e reivindicação dos produtores rurais da região.

Conforme a denúncia, a rejeição estaria ocorrendo por suposta prática de cartel, já que a empresa Vencedor teria dado ordens diretas à Três Marias para não coletar o leite do produtor, que entrega mil litros por dia e está sofrendo prejuízo enorme com o acúmulo de seis mil litros de leite. 

A Associação dos Produtores de Leite de Mato Grosso (Aproleite-MT) interviu no caso e entrou em contato com as respectivas indústrias, onde o diretor do Laticínio Três Marias confirmou terem sido impedidos da coleta do leite pelo Laticínio Vencedor.

Em resposta à acusação, o diretor de indústria do Laticínio Vencedor, Eliseu Francisco, garantiu não estar intervindo na coleta do leite do produtor rural e relatou que compra leite do produtor G. G. S. há 13 anos e continua à disposição. 

O produtor rural acionou a Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência, sob a justificativa de prática de cartel, onde as empresas estariam controlando o mercado por meio de acordo definido. De acordo com o delegado regional Marcos Lira, os policiais estão recolhendo provas sobre o caso para ter um posicionamento.

"Nós iremos verificar se existem elementos suficientes de materialidade elitiva ou indício de autoria para que a gente possa instaurar o inquérito policial. E aí, vai do controle do Ministério Público e do Judiciário para verificar se tem elementos para uma denúncia ou não", afirmou. 

Com informações do Popular Online e Rádio Conti

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Pioneiro em construções de Sapezal
Deputado apareceu sentado em sessão
Vitima da covid
Medidas mais severas
Em busca da vacina

Últimas Notícias
02.03.2021 - 22:46
02.03.2021 - 21:19
02.03.2021 - 19:50
02.03.2021 - 19:00
02.03.2021 - 18:34




Informe Publicitário