Sintep aponta contradição em fala de deputada sobre confisco de aposentadorias  | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 17 de Maio de 2021

POLÍTICA Terça-feira, 04 de Maio de 2021, 20h:58 | - A | + A




Equívoco em Declaração

Sintep aponta contradição em fala de deputada sobre confisco de aposentadorias

Sindicato enfatiza que os aposentados sempre pagaram impostos previdenciários em MT


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

O secretário de Finanças do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Orlando Francisco, destacou como contraditória a afirmação feita pela deputada Janaina Riva (MDB), ao dizer em entrevista à imprensa, publicada em 3 de maio, que “os servidores aposentados do estado não pagavam contribuição previdenciária antes do governo passar a confiscar os 14%”.

A colocação da deputada acabou gerando dupla interpretação, segundo Sintep-MT. Ao relatar que “não pagavam” e estavam “despreparados para o encargo imposto”, a parlamentar deixa subentendido, que, ou o governo deveria ter adotado medidas para prepará-los para esse confisco, ou ainda, que os aposentados – antes da manobra do governo – estariam isentos das cobranças da Previdência.

Para Orlando Francisco, é preciso fazer as ressalvas. A primeira, é de que os aposentados que recebem acima do teto do INSS (R$ R$6.433,57), sempre contribuíram com o mesmo percentual de desconto dos trabalhadores da ativa, até então 11%. A diferença é que, com a Lei da Previdência de Mauro Mendes, os encargos passaram a ser feitos sobre todo o montante acima de um salário mínimo e não mais sobre o que excedesse R$6.433,57.

“A diferença com a alteração de 11 para 14% sobre a remuneração foi assustadora. Muitos estão sem conseguir comprar seus remédios por que o salário agora sofre a cobrança a partir de um salário mínimo. Isso afetou justamente quem recebe os menores salários”, disse.

Outra observação do dirigente sindical é que os aposentados contribuíram sim, durante toda a vida ativa, para receberem o pagamento integral da aposentadoria. “Eles não teriam que ser preparados para esse confisco, visto que sempre contribuíram. O que ocorreu foi uma mudança da regra do jogo no segundo tempo”, destacou Orlando, citando a fonte de recursos 250 do MT Prev, que foi criada originalmente para o recolhimento dos encargos da aposentadoria dos servidores, mas que, através de uma manobra contábil do governo Mauro Mendes, foi utilizada para outra finalidade.

O secretário de Finanças do Sintep-MT alerta também que o argumento do governo, replicado pela deputada, de que o déficit praticamente zerou, não tem consistência, visto que não existe transparência nesses dados à sociedade.

“O governo não apresenta os dados sobre o déficit da Previdência dos servidores de forma concisa, por isso, é muito fácil fazer afirmações sobre o porquê os servidores estão sendo novamente taxados com impostos que já contribuíram enquanto estavam na ativa”, finalizou o sindicalista.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

ADERSON PADILHA DE AMORIM - 05-05-2021 11:20:11

Cabe a nós servidores do executivos principalmente os aposentados escolher nossos representantes, pois aqueles que ai estão são representantes dos sindicatos patronais, o qual não nos representa. Vem ai a próxima eleição e saber separar o joio do trigo e fiscalizar aqueles a quem escolhemos como nossos representantes, pois queiram ou não temos expressiva e maçica representatividade para eleger os mandatários em nosso Estado, inclusive para governo.

Responder

2
0


José Antonio Silva - 05-05-2021 09:40:12

Nessa brincadeira, uma cafajestice canalha do governador do estado, para quem recebe até o teto, a coisa gira em torno de R$ 700/mês. Como eu gasto entre R$ 400 a R$ 500/mês com medicamentos, já estou no prejuízo. Agora, o governador, que tem todos os custos, talvez até suas flatulências (no popular linguajas = peido) nós pagamos. Pagamos sua alimentação, seus deslocamentos (terrestres e aéreos) fora outras mordomias que corre em segredo, isso se forem republicanas, talvez NÃO e por isso sua ocultação. Agora, e os mensalinhos de R$ 150 mil? E a grana da Queiroz Galvão? Isso tudo é de conhecimento da mídia, mas estranhamente se calaram, bem como os poderes encarregados de investigar! ESTARIAM TODOS DE RABOS E CAUDAS PRESAS?

Responder

4
0


2 comentários

coluna popular
Honraria aguarda aprovação de vereadores
Eleições 2022
‘Fim da paz’
Pedem dinheiro em seu nome
Até as últimas consequências

Últimas Notícias
17.05.2021 - 18:06
17.05.2021 - 17:33
17.05.2021 - 17:21
17.05.2021 - 16:43
17.05.2021 - 16:25




Informe Publicitário