STJ adia novamente julgamento dos 5 conselheiros afastados do TCE | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 04 de Dezembro de 2019, 15h:07 | - A | + A




Judiciário

STJ adia novamente julgamento dos 5 conselheiros afastados do TCE

Conselheiros são acusados por corrupção passiva, sonegação de renda, lavagem de dinheiro e organização criminosa


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou, mais uma vez, o julgamento dos recursos movidos por conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que pedem a volta aos seus respectivos cargos. A análise estava prevista para esta quarta-feira (4).

José Carlos Novelli, Antônio Joaquim Moraes, Waldir Júlio Teis, Walter Albano da Silva e Sérgio Ricardo estão afastados há dois anos do TCE por decisão judicial. O processo foi retirado de pauta pelo ministro do STJ, Raul Araújo.

O afastamento dos 5 ocorreu durante a 12ª fase da Operação Ararath, denominada Malebolge, que foi deflagrada no dia 14 de setembro de 2017. 

Os 5 conselheiros são acusados por corrupção passiva, sonegação de renda, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações apontam que o então presidente do Tribunal de Contas, José Carlos Novelli, teria condicionado a continuidade das obras da Copa do Mundo de 2014 ao pagamento de R$ 53 milhões em propina para os conselheiros.

Delação

Entre as provas que sustentariam o depoimento de Silval Barbosa estariam notas promissórias assinada pelo ex-governador e entregues ao conselheiro afastado do órgão de contas José Carlos Novelli. As provas físicas que comprovariam essa versão nunca apareceram.

Até o fim de 2018, nenhum conselheiro chegou a ser intimado para prestar esclarecimentos e a investigação pouco avançou. No fim do mesmo ano, o ministro Fux determinou a remessa das apurações envolvendo os conselheiros ao STJ, já que alguns parlamentares que eram investigados no mesmo inquérito perderam prerrogativa de foro. Ao receber os resultados das investigações, o vice-procurador-geral da República Luciano Mariz Maia requereu ao ministro Raul Araújo, do STJ, a manutenção do afastamento dos cinco conselheiros.

Na sua manifestação, o vice-procurador-geral afirmou que havia novos elementos probatórios que justificariam a continuidade do afastamento. As novas provas apresentadas pelo MPF foram a delação do advogado Micael Heber Mateus e o relatório da quebra do sigilo telefônico dos conselheiros.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Fortalecimento de cadeias produtivas
Compartilhando Fake News
Educação Básica em pauta
Empenhada em políticas voltadas para mulheres
Encontros serão semanais

Últimas Notícias
09.12.2019 - 19:00
09.12.2019 - 17:21
09.12.2019 - 16:16
09.12.2019 - 15:53
09.12.2019 - 15:36




Informe Publicitário