Taques é investigado por conceder incentivos fiscais | MUVUCA POPULAR

Domingo, 15 de Setembro de 2019

POLÍTICA Quinta-feira, 16 de Maio de 2019, 09h:24 | - A | + A




Mais um processo

Taques é investigado por conceder incentivos fiscais

MP pediu ao Governo informações sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal


redacaomuvuca@gmail.com

O Ministério Público (MP) abriu inquérito para investigar se o ex-governador Pedro Taques (PSDB) cometeu o crime de improbidade administrativa quando era gestor.

A decisão foi publicada na Portaria 19/2019, no dia 13 de maio. O ato de improbidade teria sido cometido na edição de leis que concederam incentivos ficais relativos ao ICMS sem estudo de impacto financeiro, que contribuiu para que se instalasse a crise de calamidade financeira do Estado.

Instaurar inquérito civil em face do ex-governador do Estado de Mato Grosso José Pedro Gonçalves Taques, para apurar possível prática de ato de improbidade administrativa, com ou sem dano ao erário, com eventual violação de dispositivos constitucionais e legais”, diz trecho da portaria.

Segundo o MP, nos autos existem elementos iniciais que justificam a instauração de inquérito civil para apurar envolvimento do ex-governador nos fatos investigados. Por isso, o MP pediu que Taques fosse oficiado da investigação, e que o seja oficiado o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, prestando  informações sobre a representação interna proposta pelo Ministério Público de Contas, sobre o assunto.

Por fim, o órgão também pediu para a Casa Civil e ao gabinete do Governo do Estado informações sobre as providências a que se refere à Lei de Responsabilidade Fiscal e se foi realizado algum estudo técnico sobre os fatos.

Processo Taques.jpg

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(6) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Armando - 16-05-2019 10:42:46

E olha que o Pedro Taques era defendido com unhas e dentes.

Responder

3
0


Felipe Marcelo - 16-05-2019 10:41:21

Hoje os incentivos fiscais ficaram com um papel secundário no desenvolvimento de qualquer região. Hoje não serve para nada além de ser desviado

Responder

1
0


Emanuel - 16-05-2019 10:39:56

BIMETAL, PRA DAR EXEMPLO

Responder

2
0


Aline - 16-05-2019 10:39:11

Pedro Taques esta mais sujo que pau de galinheiro

Responder

2
0


José - 16-05-2019 10:08:56

QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Responder

4
0


jose a silva - 16-05-2019 09:33:42

A concessão desses benefícios, incentivos, desonerações ou seja o nome que tenham são simplesmente troca de favores: alguém deixa de pagar ao estado e transfere o dinheiro ao concedente! Ao menos algum valor, um percentual e por algum tempo! Mesalinhos temporários!

Responder

2
2


6 comentários