"Togados que não tem um pingo de vergonha na cara", detona senadora | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 24 de Abril de 2019, 21h:12 | - A | + A




Amiga do Sul

"Togados que não tem um pingo de vergonha na cara", detona senadora

Soraya diz que PSL é uma irmandade e vai defender mandato de Selma Arruda


Especial

A senadora Selma Arruda (PSL) está abalada pela sentença do Tribunal Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT). O Tribunal cassou por unanimidade o seu mandato por abuso do poder econômico e prática de caixa 2. A senadora se pronunciou nesta terça-feira (23) no Senado e apelou para o senso corporativista dos seus novos pares.

“Não queiram, senhores, estar no meu lugar, mas, se um dia estiverem, creiam que eu vou dar todo o meu apoio para vocês, porque injustiça é uma coisa que ninguém merece e por que ninguém deveria passar”, disse, para depois cair em lágrimas.

Segundo a senadora, a sua vida nunca mais foi fácil desde que passou no concurso para juíza. Apesar das ameaças de bandidos que atuavam na região da fronteira ela não pôde contar com o apoio do Tribunal de Justiça. “O Tribunal de Justiça não dava segurança para juízes e dizia que juiz que pedisse segurança era covarde”, disse para o Brasil inteiro escutar.

Se amigos a ex-juíza deixou no judiciário mato-grossense, ela não conta mais com eles para defender a sua causa. Que continuou: “Eu confio que aqui nós vamos ter um julgamento isento, que aqui nós vamos ter um julgamento menos perseguidor e que aqui eu vou conseguir limpar o meu nome e a minha dignidade”.

A senadora Soraya Thronicke (PSL/MS), que também é advogada, não apenas se solidarizou com a amiga, e colega no Senado, como também atacou o judiciário. Segundo Thronicke, a Justiça nunca é célere e muito menos eficiente: “Regras processuais foram atropeladas, documentos considerados falsos, cheques considerados falsos foram utilizados para a decisão unânime”, acusou a vizinha do sul.

A senadora Soraya foi ainda mais dura na defesa da amiga Selma, e acusou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso de perseguição política. “Isso não é processo (do TRE/MT), isso é perseguição política, perseguição política dentro do Judiciário”. E foi mais contundente quando disse que o que acontece com a senadora Selma é o que acontece com o Senado Federal ao se tornar refém de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Reféns! Está Casa está refém, e isso é inaceitával”, disse a senadora Soraya. Um dos ministros do STF que está na alça de mira dos membros do Partido Social Liberal é o ministro mato-grossense Gilmar Mendes. Soraya diz que os senadores “estão sendo ameaçados dia e noite por togados que não têm um pingo de vergonha na cara, um pingo de respeito e que não precisam do voto. Então, para eles tanto faz”.

A ex-juíza Selma Arruda já não se sente mais parte do Judiciário, e ter acusado alguns dos seus julgadores também não ajudou a manter as portas abertas. Ainda em dezembro, a então candidata vitoriosa lançou em uma transmissão em rede social uma acusação grave: "Já fui extorquida três vezes por causa dessa bagunça. Na primeira vez, me pediram R$ 360 mil, na segunda, R$ 600 mil e na terceira me pediram cargos, para me absolverem nesse processo no TRE. Aqui ó!" (dando uma “banana” com os braços).

O que resta a ainda senadora Selma é o apoio dos seus novos amigos, como disse a senadora de Mato Grosso do Sul: “Juíza Selma, minha amiga, conte conosco. O PSL aqui no Senado é uma irmandade. Somos uma irmandade aqui, na Câmara e no Brasil inteiro”. É aguardar o apoio do PSL para se manter no mandato.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(11) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mariazinha - 25-04-2019 09:41:10

MIMIMIMIMI !!! MIMIMI peteba? Mimimi bolsopata? Mimimi ....mimi...mimi....mimimi...como era mesmo? Vá chorar na cama que é quente !!!

Responder

7
4


Carlos Nunes - 25-04-2019 09:00:06

Ih! Esse caso da Juíza SELMA já entrou pra história da Justiça Brasileira como o mais inusitado do país. Todo mundo sabe que...qualquer cidadão e cidadã só é candidato(a) a algum cargo (presidente, governador, prefeito, senador, deputados federal e estadual, vereador) DEPOIS que passa na Convenção de um Partido Político, ao qual tá filiado...e registra a candidatura num TRE. Essa é a regra que vale em todo o país. ANTES disso a pessoa não é absolutamente candidato(a) a nada, nadinha...nem a porteiro de cemitério. Ora, a Convenção Partidária, que escolheu a Juíza como candidata à Senadora, aconteceu no mês de Agosto/2018...tem que analisar somente o que aconteceu da data de registro da candidatura no TRE/MT até a contagem final dos votos, onde ela foi eleita com 678.542 votos, sendo a senadora mais votada. Entretanto no processo da Juíza começa com fatos ocorridos em datas anteriores até a Convenção Partidárias (abril, maio e outros meses)...nesse período ela não era candidata a nada...não tinha nenhuma ligação com Justiça Eleitoral, TRE, etc. ou tinha? Digamos que eu seja candidato a prefeito de Cuiabá, a Convenção do meu partido acontecerá no mês de Agosto/2020...vou registrar a candidatura depois dela. Que ligação teria com a Justiça Eleitoral ANTES disso? Nenhuma. Candidatura só vale após a Convenção e registro dela no TRE. Teria que repetir isso, quinhentas vezes, pra todo mundo entender isso? Na próxima eleição a Prefeito, tudo indica que haverá inúmeros candidatos...que aconteceria se começassem a fuçar a vida deles, pra saber sobre movimentação bancária, empréstimo, contratação profissional de qualquer espécie, ANTES que eles registrassem a candidatura? Isso seria totalmente irregular e ilegal.

Responder

7
3


Gilberto - 26-04-2019 13:56:28

Selma Arruda praticou o crime de falsidade ideológica e abuso de poder econômico. Há provas abundantes. Não foi injustiçada ou perseguida.

Responder

0
1


Leandro - 25-04-2019 08:56:44

Chora, pede perdão, diz que nunca mais vai fazer isso que o moro perdoa

Responder

4
5


Claudio - 25-04-2019 08:53:02

Quem não deve não teme, deixa o processo rolar

Responder

8
1


Geane - 25-04-2019 08:51:31

Tadinha, dá até dó SQN

Responder

5
4


Arlindo - 25-04-2019 08:46:23

Não eram contra a corrupção? se foi provado caixa dois é crime não?

Responder

5
1


Adriano - 26-04-2019 08:38:43

Nao foi provado nada acontece que os desembargadores estão agindo por perseguição política querem o Carlos Fávaro tá na cara o senhor Pedro Sakamoto maior safado que já vi deve favor aos campos ,tem que provar analisar os dados foi tudo muito rápido eu mesmo fui no julgamento e foi muito célere estranho no caso do Emanuel ng fez nada até hj ele roubou tá na cara.

Responder

2
1


Zé Manoel - 25-04-2019 07:57:46

GENTE!!! depois da decisão por unanimidade do TRE-MT, a conclusão é a seguinte, o mandato dela acabou, o TRE-MT não decidiu com um placar que daria margem para reverter a decisão, não foi 4a3; 5a2... Tanto que até mesmo os "colegas" de partido já estão se lançando candidatos a vaga dela...

Responder

7
2


Capitão nascimento - 25-04-2019 04:01:01

É uma pena que a justiça não age rápido em tantos outros casos de crimes eleitorais que ocorrem no Brasil. Tem deputado, por exemplo, que assaltou Mato Grosso durante 20 anos, e só depois de tanto tempo que saiu a sentença. A senadora Selma não roubou ninguém e perdeu o mandato em 3 meses.

Responder

8
6


Ivan - 24-04-2019 22:34:37

Ainda tem louca ou loucos defendendo essa falsa e pra acabar mesmo por isso que o país não vai para frente. E tanto uns mais caráter defendendo outro com aquele choro de crocodilo.FORA SELMA SUA MENTIROSA

Responder

15
10


11 comentários