TSE nega recurso e mantém ação contra deputado por compra de votos  | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019

POLÍTICA Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019, 10h:56 | - A | + A




Carlos Avalone

TSE nega recurso e mantém ação contra deputado por compra de votos

Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou por unanimidade o recurso do deputado estadual Carlos Avalone (PSDB)


redacaomuvuca@gmail.com

 Foto: reprodução 

O Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou por unanimidade o recurso do deputado estadual Carlos Avalone (PSDB), que tenta trancar a ação judicial que pode resultar em sua cassação, por conta das eleições de 2018, quando 3 pessoas foram detidas em flagrante, na BR-070, com R$ 90 mil em dinheiro e várias caixas de santinhos do então candidato.

A decisão é de terça-feira (19), quando os ministros Sérgio Banhos, Edson Fachin, Marco Aurélio, Og Fernandes, Luis Felipe Salomão e Rosa Weber, seguiram o entendimento do relator, ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, que já havia negado o pedido do parlamentar ao seguir o parecer do Ministério Público Eleitoral, afirmando que os fatos narrados e colhidos até o momento já são suficientes para às investigações.

A defesa alegava que o processo teria "insuficiência de prova pré-constituída" para que a ação prosseguisse.  As detenções foram feitas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que encaminhou os suspeitos para a sede da Polícia Federal (PF), em Cuiabá. Após depoimentos, os 3 foram liberados. O dinheiro e os materiais de campanha de Avalone estavam em uma carro.

Avalone assumiu a cadeira de deputado, em fevereiro, em definitivo, após Guilherme Maluf ter sido nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).   O parlamentar é investigado na Operação Ararath e foi alvo da 12ª fase, denominada "Malebolge".

De acordo com a delação do ex-governador Silval Barbosa, Avalone e seus irmãos, que são sócios na construtora Três Irmãos, pagaram propina com um cheque sem fundo. A propina seria proveniente de contratos do programa “MT Integrado”, que assegurava investimentos de aproximadamente R$ 1,5 bilhão para pavimentação.

Avalone supostamente entregou cerca de R$ 2 milhões em cheques ao ex-governador Silval Barbosa (MDB), a título de propina do “retorno” dos contratos das obras.     

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(9) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Silva - 22-11-2019 14:42:10

Tem um monte aí que comprou muitos votos pra estar na onde está o estado e município estão saqueados

Responder

0
1


Marla - 22-11-2019 14:41:20

Não dá em nada como sempre

Responder

0
1


Vilio - 22-11-2019 14:39:52

Povo compra por 30 e 50 reais todas as autoridades sabem disso, e eles ganham o dobro pobre é burro mesmo, quem vende voto por 50 reais?

Responder

0
1


Lais - 22-11-2019 14:38:38

Más se não tiver quem compra não tem como vender né, simples assim

Responder

0
0


Janaína - 22-11-2019 14:37:33

Pior do que comprar voto, é vender o voto, e pior ainda é querer exigir algo dos políticos depois

Responder

0
0


Jaqueline - 22-11-2019 14:35:12

O povo tem que aprender a pegar o dinheiro e não votar em quem sta comprando

Responder

0
0


Augusto Rafael - 22-11-2019 14:34:06

De que adianta?Não vai dar em nada ano que vem vai ficar ainda comprando voto de novo

Responder

0
0


DANIELLA - 22-11-2019 14:33:06

Tem que colocar ele na cadeia

Responder

0
0


Mriane - 22-11-2019 14:32:03

Se ele comprou, alguém vendeu!!! e quem vendeu também é culpado

Responder

0
0


9 comentários

coluna popular
Gestão eficiente
Após cassação de Selma
Dr João ressalta importância da cultura do estado
Vereador não sabe diferenciar poderes
Expediente irá funcionar normalmente

Últimas Notícias
12.12.2019 - 15:31
12.12.2019 - 15:22
12.12.2019 - 15:08
12.12.2019 - 14:57
12.12.2019 - 14:50




Informe Publicitário