15 categorias cruzam os braços contra as medidas de Mauro Mendes | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 24 de Abril de 2019

SINDICATOS Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2019, 07h:09 | - A | + A




"Pacote de maldades"

15 categorias cruzam os braços contra as medidas de Mauro Mendes

Paralisação unificada e manifestação ocorre em Cuiabá e no interior

Pelo menos 15 categorias do funcionalismo público estadual paralisam as atividades nesta terça-feira (12), por 24 horas, reivindicando  o pagamento dos salários e a Revisão Geral Anual (RGA).

Insatisfeitos com o posicionamento do Governo do Estado, o funcionalismo cruxa os braços à partir da meia noite.  A concentração para o ato público em Cuiabá, no entanto, acontece antes, sendo programada para as 14h, em frente ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), situado na Av. Rubens de Mendonça (CPA).

Já no interior do estao os manifestos estão sendo programados apenas nas cidades polo. “A participação dos servidores ativos, aposentados e pensionistas é primordial e imprescindível, pois todos estão sendo afetados diretamente com o pacote de medidas que se transformaram em lei e irão impactar profundamente a vida dos servidores do Poder Executivo”, frisou Oscarlino Alves, presidente do SISMA e representante do Fórum Sindical.

De acordo com ele, “serão mantidos 30% do efetivo nos serviços essenciais, e, 100% na Urgência e Emergência, nos Hospitais e Ambulatórios. Já nas unidades administrativas, a exemplo dos 16 Escritórios Regionais vão ser mantidos apenas serviços regulatórios e entrega de vacinas e termolábeis”, ponderou.

Além dos servidores da saúde, profissionais da secretaria de Educação e da secretaria de Meio Ambiente também já confirmaram a paralisação.

“Será a primeira grande paralisação de alerta contra as medidas do governo Mauro Mendes e a participação dessa categoria é fundamental”, frisou a coordenadora do Fórum Sindical, Edna Sampaio.

A intenção do funcionalismo público é chamar a atenção do Governo do Estado no que tange a falta de isonomia entre os Poderes, o não parcelamento salarial e do 13º salário, obrigatoriedade constitucional do pagamento até o dia 10 de cada mês, garantia da Revisão Geral Anual (RGA) e não ao aumento da contribuição previdenciária.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Alan - 12-02-2019 09:24:45

Muito triste saber que os políticos só ouve os trabalhadores quando eles deixam de atender o povo, infelizmente também essas categorias só consegue algo quando fazem greve se não, nada feito é uma batalha que sempre um vai perder

Responder

22
0


Luca - 12-02-2019 09:22:50

Começou já essa palhaçada de greve

Responder

2
32


jose a silva - 12-02-2019 10:07:45

Pois é sr. "LUCA", eu infelizmente sou servidor público, concursado e num ótimo cargo! O sr. tá assim por quê? Não conseguiu ser aprovado em nenhum? Eu, hoje nem no portão de casa chego, quanto mais ir trabalhar! Se você precisa de serviços prestados por servidor, fique em casa também!

Responder

24
3


Vilma - 12-02-2019 09:22:08

Esses sindicatos só recebem milhões por ano prejudicam o Brasil e buscam por interesse próprio pois não representam a população. Pq não acabam com isso?

Responder

2
20


Alex - 12-02-2019 09:19:00

Quanto mais unidos estivermos, mais fortes seremos !!! TODOS CONTRA MAURO MENDES

Responder

26
1


Aline - 12-02-2019 09:18:22

Infelizmente parece que estamos caminhando para o retrocesso e todo a luta para chegar até aqui foi inútil, sem falar em quem está formado e esta desempregado

Responder

6
0


Raimunda - 12-02-2019 09:17:30

estaremos juntos nessa luta

Responder

19
0


7 comentários